.

.

Tratores do Brasil S. A.

sábado, 28 de janeiro de 2012


Tratores do Brasil S. A., foi uma empresa subsidiária da LeTourneau-Westinghouse Company, fabricante de máquinas para terraplenagem no município de Sumaré, comarca de Campinas.

Foram 28 anos de fabricação em solo brasileiro, até que, em 1982, a empresa foi adquirida pela Müller S. A..

Conhecemos um pouco dessa história; uma história que inicia-se há 75 anos atrás.


* Os registros antigos

Os registros mais antigos de máquinas LeTourneau no Brasil, datam do ano de 1937, quando chegou ao nosso país, um Le Tourneau Carryall Scraper, tipo Y, com capacidade de 12 jd³, montado sobre 4 pneus de 18x24 e um Le Tourneau Rooter, tipo Heavy Duty.

Ambas máquinas eram rebocados por tratores que controlavam os seus movimentos. O primeiro modelo era aplicado no transporte de materiais por ela excavados e carregando-se a medida que vão sendo recocado.

O segundo modelo era aplicado na escarificação de terrenos duros e no dilaceramento de raízes e tocos.

Essas modernas máquinas foram usadas em Mogi Mirim - SP na construção do ramal de Conchal pelo DER. O Sr. Ranulpho Pinheiro Lima, secretário da Viação e Obras Públicas, ficou impressionado com as máquinas, ao assistir as experiências realizadas, que, segundo ele, foi a melhor possível.

Outro registro de 1941, mostra-nos o serviço de máquinas LeTourneau na construção do prolongamento dos trilhos da E. F. A. (Estrada de Ferro Araraquara) a Porto Presidente Vargas, ligando importante zona ao Porto de Santos.

Nesta importante obra, destacam-se 08 carryalls LeTourneau e outras duas máquinas do mesmo fabricante. Outras 03 (três) unidades motrizes, denominados "Tournapulls", modelo C - equipado com carryalls modelo "LS" de 11 jd³, nas quais os visitantes da obra tiveram a oportunidade de ver em funcionamento, vieram pela primeira vez à América do Sul, sendo introduzida como pioneira na construção da E. F. A..


* A representação brasileira

Em 1941, a Lion & Cia. Ltda foi nomeada como representante exclusiva para os Estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso da R. G. LeTourneau Inc. e outras marcas (La Plant-Choate Mfg. Co., Willamette Hyster Co., etc).

Em 1944, a Sociedade Thela Comercial Ltda., foi distinguida com a representação da R. G. LeTourneau Inc. para os Estados de São Paulo, Paraná, Mato Grosso e Goiás.

A representação no Brasil compreendido pelos Estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo e Distrito Federal, foi confiada à Geovias Ltda.

Tournapulls, tournatrailers, angledozers, bulldozers, scrapers, guindastes, rooters e guinchos eram distribuídos no Brasil.

Em 08 de outubro de 1951, iniciou um curso de treinamento LeTourneau que teve a finalidade de sistematizar processos modernos de utilização de máquinas para movimentação de terra. O curso terminou em 22 de outubro e foi instalado pelos engenheiros R. L. Wollberg e Max Loertscher. Os participantes estudaram a parte elétrica e mecãnica dos equipamentos. No final do curso houve um almoço de confraternização e despedida dos engenheiros.


* A subsidiária brasileira

Em 23 de dezembro de 1953 era fundada a Tratores do Brasil S. A., filiada da LeTourneau-Westinghouse Company, Peoria, Estados Unidos.

Eram diretores da empresa: Afranio Affonso Ferreira (diretor-presidente), Frank Harold Weis (diretor-secretário), além de Gentil Faria de Andrade e Raul Guedes de Mello (diretores).

A sede social da empresa era situada na Rua Visconde do Rio Branco, 301, 2º andar, sala 201, na cidade de Campinas.


* O anúncio da fábrica

O anúncio oficial da construção da unidade fabril foi feita pela LeTourneu-Westinghouse Co., em Peoria, Illinois, Estados Unidos, conforme divulgado pela imprença em março de 1954.

A empresa adquiriu na estrada de Limeira, dentro do município de Campinas, um terreno de 108.000 m², sendo a única no gênero no continente latino-americano.

Conforme divuldado em setembro de 1954, com a execução do primeiro pavilhão (em andamento), o início de suas atividades eram incertas.

Até essa data mencionada, havia um pedido de licença de importação das máquinas na SUMOC, aguardando autorização.

Aos 23 de maio de 1955, a empresa comunicou a transferência de sua sede social para o edifício, recentemente construído, da fábrica na Via Anhanguera (trecho Campinas a Limeira).

Em setembro de 1955 a empresa concluiu a construção de seus pavilhões (aparelhagem da unidade), entrando em produção no ano seguinte.

Há quem diz, que em 1955, a empresa dava início a produção nacional, fornecendo peças de reposição e em seguida, a fabricação de alguns ítens das máquinas.


* A primeira máquina nacional

No dia 15 de março de 1956, a Tratores do Brasil S. A. entregou as três primeiras máquinas fabricadas no Brasil, os tournarockes, de 22 toneladas.

Robert L. Wollberg (diretor-gerente) da Tratores do Brasil, saudou os presentes e manifestou seu apreço e gratidão em entregar as primeiras unidades brasileiras.

Segundo ele, declarou na ocasião que, muito antes dos tournarockes fossem as primeiras máquinas a serem produzidas, não eram as únicas ali fabricadas. Ele ressaltou que rolos compactadores pé-de-carneiro e escarificadores já vinham sendo fabricados muito antes da conclusão das obras do edifício da fábrica.

Registra-se a presença de Afranio A. Ferreira (diretor-presidente), bem como outros diretores e funcionários, Miguel R. Rossi (representante do DER), Ceril Dias de Oliveira e Paulo Vieira (da CACEX), Geraldo Quartim Barbosa (da Thela Comercial), Pe. José Giordano (prefeito de Sumaré), Giovani Cavaleri (do Banco Francês e Italiano), Arnaldo Lima (da Cavalcanti Junqueira) e outras autoridades.

As 03 máquinas foram entregues a empresa Cavalcanti Junqueira S. A. que foram utilizados na construção da barragem do Rio paraíba, da Light & Power, em Santa Branca, São Paulo.

Os tournarockers eram constituídos por duas partes: o tournapull (cavalo mecânico) e o Rear Dumps (este construído no Brasil).

A fábrica de Tratores do Brasil S. A. era situada à Via Anhanguera, Km 106, cidade de Sumaré, comarca de Campinas, SP.


* A caminhada da empresa

No dia 21 de novembro de 1956, a Tratores do Brasil entregou a Cia. Construtora de Estradas, dois tournapulls, equipados com "rear dumps".

Nesse ano, iniciou a produção de motoniveladoras ADAMS no Brasil. Dentre as suas características técnicas e funcionais, as primeiras motoniveladoras constituiram um marco decisivo no desenvolvimento do Plano Rodoviário Nacional.

No dia 27 de março de 1957, chegou em nosso país o Sr. Paul E. Fulford, vice-presidente da LeTourneau-Westinghouse Co. que veio visitar a unidade brasileira.

Em 1957, deu início a seu plano de expansão da fábrica, representando um acréscimo de 350% na sua área de trabalho. Essa ampliação enquadrou-se no programa da LeTourneau-Westinghouse, cuja aplicação de somas que montam US$ 10 milhões.

Diz um anúncio de outubro de 1957, que 88% dos elementos que integram a maior parte dos equipamentos da Tratores do Brasil S. A. são absolutamente nacionais.

Em 1958, foi concluída a primeira etapa das obras de ampliação da unidade brasileira.

Até agosto de 1958, por exemplo, o Brasil contava com 08 (oito) rede de distribuidores. Talvez, um dos distribuidores que mais se destacaram foi a Thela Comercial S. A..

A Thela Comercial entregou a Construções e Comércio Camargo Corrêa S. A. o maior trator-pusher, o Twin C, fabricado pela LeTourneau-Westinghouse Co., além de disponibilizar para pronta entrega, a motoniveladora Adams 550.

Os scrapers CT e DT (rebocáveis de 18 e 11 jd³), tournapulls C, tournatractors C e o dumptors 60, eram exemplos de máquinas fornecidas em nosso país.

No dia 24 de outubro de 1958, um coquetel de recepção aos senhores Merle R. Yontz e Paul E. Fulford, presidente e vice-presidente da LeTourneau-Westinghouse Co. foi oferecido aos mesmos. Eles vieram ao Brasil para tratar assuntos relacionados com os novos planos de expansão da subsidiária brasileira.

Em agosto de 1962, Tratores do Brasil S. A. apresentou o primeiro tournapull modelo C, nacional (constituído por componentes nacionais).

A máquina tinha motor de 290 hp. e 2100 rpm, atingindo velocidade de até 40 km/h e pesava 20441 Kg (45000 Ib).

A linha nacional da empresa, ademais do modelo apresentado, era compreendida pelo rolo compactador pé-de-carneiro W-2, os scrapers (CR, CT, BT, DT e DM) e os moto-escrêiperes Hancock C e D (que entraram na linha de produção a partir de 1963). Aos poucos, novos modelos de equipamentos foram introduzidos na linha de montagem brasileira.

Em 1965, a Thela Comercial entregou a S. A. Paulista de Construções e Comércio a primeira de uma série das unidades "tournapull C" auto carregável, modelo 222, chegada ao Brasil.

Os senhores Nelson Teixeira Martingo (diretor de vendas) e Ronald J. Barzilay (diretor da Tratores do Brasil) entregaram o "Tournapull C" aos engenheiros João Alves Capucho e Eduardo Tagliarini Filho, respectivamente Diretor Presidente e Diretor Superintentente da S. A. Paulista de Construções e Comércio.

Essa máquina foi enviada a trabalho em São Manoel, na conclusão do trecho Igualdade - Santa Maria da Serra, que liga estas localidades à BR-34., além de colocar na Rodovia D'Oeste outra máquinas, do mesmo tipo, em demonstração.

Até julho de 1969, a linha de máquinas para terraplenagem nacionais, eram constituídas por 05 modelos básicos: 2 tournapulls (séries diferentes), o trator-scraper C222F e 229F; e o scraper CT.

O modelo Auto Carregável C222F tinha 318 hp e 21 jd³ de capacidade. A Série 222 foi produzida em Peoria, Illinois, Estados Unidos; Campinas, Brasil e Rydalmere, New South Wales (NSW), Australia e, compreendia pelos modelos 222A (1962 -1966), 222F (1967 -1970), 222G (1971 -1977) e 222H (1971 - 1984).


* A Wabco Brasil Equipamentos S. A.

Aos 13 de abril de 1970, a Tratores do Brasil S. A. alterou sua razão social para Wabco Brasil Equipamentos S. A. e, posteriormente, em 16 de outubro de 1970, alterou para Wabco Brasil Equipamentos Ltda..

Nesta época, a empresa abriu uma filial na capital paulista à Avenida Mofarrej, 401.


* Os caminhões fora-de-estrada

Em 1971, Willian A. Miller foi nomeado diretor-gerente da empresa. Em meados de 1972, a empresa lançou o primeiro caminhão fora-de-estrada, o modelo W-22.

Até setembro de 1974, por exemplo, havia mais de 170 unidades operando nos mais diversos setores (construção pesada e mineração).

Todavia, em novembro de 1976, a Wabco Brasil Equipamentos Ltda, deu entrada no Conselho de Desenvolvimento Industrial - CDI, uma carta-consulta visando a fabricação em nosso país dos caminhões diesel-elétricos Haulpak, com capacidade de 100 a 230 toneladas.

Em 1977, a empresa exportou para a Tanzânia 25 caminhões W-22, 06 moto-escrêiperes auto carregável 222G e 02 moto-escrêiper convencional 229G.


* O desfecho da história

Em 24 de setembro de 1982, a Müller S. A. assinou contrato de compra da empresa Wabco Brasil Equipamentos Ltda..

Foram exatamente, 28 anos (1955 - 1982) de fabricação de equipamentos LeTourneau-Westinghouse e Wabco na América do Sul.




* Agradecimentos: Cedoc - ANFAVEA.

* Alguns funcionários da empresa: Ervin W. Stegemoller (Diretor Técnico), Rômulo Augusto de Almeida (diretor), Bráulio R. M. Rodrigues, Sylvio Soave, Fernando Lopes Kruger, Holmes Dille e Cosimo Andrew Burali-Forti.




2 comentários:

nightrider 14 de fevereiro de 2012 22:13  

Nossa,reconheço que não sabia que a LeTourneau fabricou máquinas pesadas por aqui...Pensei que as que haviam passado pelo Brasil eram todas importadas!Grande matéria!Adorei!

adrianokbca1969 1 de novembro de 2013 17:35  

Importante saber que, dos funcionários mencionados, faltou indicar o primeiro operando sr José Alvaro martins, que, em poucos anos, passou pra gerente de Montagem e Assistente Técnico, atendendo toda a América do Sul. Em seguida, no grupos dos primeiros vinte funcionários o Sr Jorge Lepikson, Sra Mildred, Sr Wagner Albertini, Sr Alcindo Rodrigues Junior (o próprio), Sr Pedro Testolini Neto, Sr Cícero Calvi, Sr Ettore Pavanello, Sr Oswaldo, Sr Fritz, Sr Ardel Fonseca, Sr José Carlos Cabrino, Sr Marcos Jair Garutti, Sra Adenir Fazio, Sra Theresinha Fazio, Sra Norma Asta, Sr Claudio de Abreu, Sr Kazutocki Wada, Sr José Aparecido Ferreira, Sr Lino Gesser, Sr Walter Ganen, Sr Figueiredo, Sra Rosali Asta, Sra Maria Aparecida, Sr Edivaldo Orsi, dentre outros. Era uma excelente equipe. Bons tempos! Alcindo. Salvador/Ba.

Postar um comentário

EXPEDIENTE: Heavy Machinery - Museum - primeiro museu eletrônico de máquinas e equipamentos pesados do Brasil, é parte integrante do Canal Máquinas & Equipamentos Pesados. É proibido copiar os artigos e fotos deste canal, sem a prévia autorização do autor, ou titular dos mesmos. Qualquer artigo copiado ou fotos, devem conter a fonte original. Espero que todos os leitores saibam produzir seus artigos sem infringir os Direitos Autorais sobre sua Propriedade Intelectual, nos termos da Lei 9610-98 (artigos 101 à 110). Plágio é crime e está previsto no Código Penal (artigos 184 à 186). Todos os artigos estão baseados em informações vigente na data da publicação. O autor se reserva o direito de alterar os artigos sem aviso prévio.

  © Blogger template Foam by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP