.

.

Huber-Warco do Brasil S. A. (Parte II)

sábado, 6 de dezembro de 2014


De 1960 a 1972, a linha de motoniveladoras no Brasil era composta por 02 modelos: 10-D e 11-D, respectivamente.

Em 1965, a Huber-Warco tentou lançar em nosso mercado, um modelo fabricado nos Estados Unidos: a Maintainer (trator 4x4 com lâmina central).


* A manteiner DD-550

Embora aprovado por vários usuários nos Estados Unidos, essa máquina teve seu anúncio em março de 1965, resultado da união dos técnicos da Huber-Warco do Brasil e da Demisa - Deutz Minas S. A..

Titulado de "Manteiner DD-550" - era uma máquina de comandos hidráulicos, de manutenção fácil e econômica. Ela possuia um motor Otto Deutz Diesel de 55 hp, refrigerado a ar.

Ela pesava 4.500 kg e tinha comprimento de 4200 mm, largura (sem lâmina) de 2240 mm e altura total de 2200 mm.

No parque do Iguatemi, São Paulo, a Huber-Warco e Demisa apresentaram o "Manteiner DD-550".


* As exportações

Em abril de 1968, Huber-Warco enviou para seu distribuidor na Argentina uma motoniveladora, cuja missão era abrir mercado no país, através de demonstrações já programadas na capital argentina.

E deu resultado. A empresa exportou em junho de 1968, 04 motoniveladoras (via cargueiro) para o mercado argentino. Era o primeiro embarque de tal tipo.

Em 1970, a Huber-Warco exportou 140 motoniveladoras para o Chile, depois de vencer a concorrência internacional. Foram 130 motoniveladoras, modelo 10-D, e 10 motoniveladoras, modelo 11-D.

De agosto de 1972 a setembro de 1973, a empresa investiu cerca de Cr$ 4 milhões para aumentar sua produção no Brasil.

Diz uma propaganda - que o Brasil vinha gastando uma nota na importação de motoniveladoras de grande porte. Só em 1971/72 foram cerca de 5 milhões de dólares.

Confirmando a tradição de ser a primeira a entrar em sintonia com as necessidades de mercado, quase no final de 1972, programava o lançamento de um novo modelo; um presente de 20 toneladas para o Brasil.


* A motoniveladora 16-DS-SA

A motoniveldora Huber-Warco 16-D foi lançada no Brasil, no início de 1973, com índice de nacionalização de 98%. Era a mais pesada de fabricação nacional. O Brasil viu-se livre das importações.

As obras do Aeroporto internacional do Galeão - Supersônico - voaram com a ajuda de motoniveladoras 16-D. Máquina essa, que aguentaram violento ritmo das obras, trabalhando 22 horas diárias com apenas duas horas de descanso.

Máquinas que superaram as expectativas de produção dos engenheiros de obras da CBPO - Cia Brasileira de projetos e Obras.


* A mudança nas nomenclaturas

Em 1973, a empresa adquiriu uma unidade (indústria de caldeiras) em Resende - RJ, numa área de 500 000 m², com 10 000 m² construídos, onde foram fabricados 20 a 25% das peças usadas nos modelos de motoniveladoras.

A partir de 30 de setembro de 1973, as motoniveladoras de Huber-Warco levaram novo logotipo, em que são indicados a inicial do fabricante do motor (S de Scania ou M de Mercedes), o sistema de automatização (SA - semi automática) e os números de conversor de torque.

Desses modelos de motoniveladora, ademais do modelo 130-M, alguns eram equivalentes a modelos anteriores (10-D11-D e 16-D), porém com pequenas variações.

Havia na época o CIP - Conselho Interministerial de Preços (instituído pelo Decreto nº 63.196, de 29 de agosto de 1968) na qual o Governo Federal fixa e executa a política de preços no mercado interno, buscando sua harmonização com a política econômico-financeira global.

Huber-Warco apresentava a estrutura de custos de fabricação para atualização de preços. Comprováva-se 10% e eles autorizavam a metade. A empresa descobriu que ao apresentar as novas nomenclaturas, como se fossem novos modelos, eles aprovariam na íntegra. Daí a mudança de nomenclaturas.

Cerca de 60 motoniveladoras Huber-Warco, modelo 135-M, foram adquiridas pelo DNER do Paraná em fevereiro de 1974.


* A nova linha de motoniveladoras

Em abril de 1974, a empresa lançou sua nova linha de motoniveladoras: a HWB 225-SSA, a HWB 165-SSA, a HWB 165-S, a HWB 140-S e a HWB 140-M, respectivamente. O modelo HWB 140-M. tinha 12.500 kg e era equipada com motor Mercedes-Benz de 138 hp.

Para o mercado chileno, cerca de 10 motoniveladoras modelo HWB 165-SSA e 01 unidade do modelo HWB 225-SSA foram aquiridas em outubro de 1974.

Com essa aquisição, o Chile passa a contar com 161 motoniveladoras, sendo 150 fornecidas anteriormente para o Ministério dos Transportes do país.


* A aquisição pela Dresser

Em agosto de 1975, Huber-Warco era vendida a Dresser Industries por US$ 12 milhões. Richard A. Moser continuou na presidência da Huber-Warco, apesar da Dresser Indústria e Comércio Ltda ter adquirido o controle acionário da empresa (cf. divulgado em 07 de setembro de 1975).

Dresser havia adquirido a Jeffrey em 1974 e Galion (adquirida pela Jeffrey em 1929) tornando-se uma divisão da mesma.

Com a aquisição no Brasil, a Huber-Warco tornou-se parte de sua divisão de motoniveladoras sob o nome de HWB-Dresser, depois HWB Jeffrey Division, de Dresser Industries.

Alguns modelos de motoniveladoras foram descontinuados. Em 1976, por exemplo, a linha de Huber-Warco compreendia pelos seguintes modelos de motoniveladoras: 130-M140-S165-S165-SSA e 225-SSA.

Dresser era proprietária da CNG - Companhia Nacional de Guindastes, fabricante dos guindastes Galion e Krane Kar.

Os guindastes Galion 150-A e Galion 9-TM (antigo Krane-Kar), passaram a ser fabricados a partir de 1976.

Em julho de 1976, Richard A. Mozerrenunciou da empresa. Para seu lugar, foi nomeado o Sr. Larry Gene Gettinger, um americano, residente no Jardim Morumbi, São Paulo.


* A incorporação de Huber-Warco

Aos 29 de outubro de 1976, Huber-Warco do Brasil S. A. - Indústria e Comércio é incorporada pela Dresser Indústria e Comércio Ltda. (cf. aprovação em 15 de setembro de 1976).





* Agradecimentos: Gale E. Martin (Marion County Historical Society, Estados Unidos), Paulo Alves de Oliveira (Abrap S.A. Aliança Brasileira de Propaganda), Eng. Herminio Trujillo Filho, Juvenal Azevedo, Carlos Valverde C. Sirvello, José R. Pacífico, Luiz C. Matte (Linck S.A. Equipamentos Rodoviários e Industriais), DPH - Departamento do Patrimônio Histórico (Mogi das Cruzes), Arquivo Histórico Municipal "Historiador Isaac Grinberg" (Mogi das Cruzes) e Cedoc-ANFAVEA.

* Alguns funcionários da empresa: Corintho Goulart, James Hay Kilburn (diretores presidente), Cecil Garfield King (diretor superintendente), Jorge Roberto Sgrillo Coimbra, João Adhemar de Almeida Prado, Dr. Augusto Meirelles Reis Neto, Philip Hodge, Harry Thomas Whitley, João Von Atzingen (diretor gerente), Marseau Franco (gerente de vendas), Edson Gadini (gerente de compas), Sérgio Muniz de Souza, Richard James Kennedy, Angus Chrisholm Littlejohn, John C. Anderson e Douglas W. Calder.

José Roberto F. Pacífico (comercial), que entrou para Huber-Warco em junho de 1960; Antônio Luiz Blanco (administração), Cósimo Amuso Filho (financeiro), José Manoel dos Reis (indúsria e engenharia), Jamil Halage (gerente industrial), Morgan Edison Thomas, Enrique Ramon Peres Irueta e Ronaldo Camargo Veirano.

* Notas: O Dr. Corintho Goulart era diretor do Banco de São Paulo e o Dr. João Von Atzinger estava ligado à administração da empresa Vias e Viaturas S.A.

Quanto ao Sr. Cecil G. King, ele representou a empresa Huber em vários países europeus e africanos. Ao longo dos tempos, a atenção dele voltou-se com o mercado latino-americano. Em visita ao Brasil, decidiu instalar a primeira fábrica de motoniveladoras da América do Sul, encarregando-se de sua organização. Ele, austríaco de nascimento, fixou sua residência em nosso país.

* Foto: unidade fabril da Huber-Warco do Brasil S. A. (Arquivo Histórico Municipal "Historiador Isaac Grinberg)


0 comentários:

Postar um comentário

EXPEDIENTE: Heavy Machinery - Museum - primeiro museu eletrônico de máquinas e equipamentos pesados do Brasil, é parte integrante do Canal Máquinas & Equipamentos Pesados. É proibido copiar os artigos e fotos deste canal, sem a prévia autorização do autor, ou titular dos mesmos. Qualquer artigo copiado ou fotos, devem conter a fonte original. Espero que todos os leitores saibam produzir seus artigos sem infringir os Direitos Autorais sobre sua Propriedade Intelectual, nos termos da Lei 9610-98 (artigos 101 à 110). Plágio é crime e está previsto no Código Penal (artigos 184 à 186). Todos os artigos estão baseados em informações vigente na data da publicação. O autor se reserva o direito de alterar os artigos sem aviso prévio.

  © Blogger template Foam by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP